Fies

Tudo sobre o FIES: O Guia Completo

Veja tudo o que você precisa saber sobre o FIES, desde como funciona o processo seletivo, inscrição, notas de corte e mais!

Financiar a faculdade é uma alternativa buscada por muitos estudantes que enfrentam dificuldades financeiras e querem dar continuidade na graduação. Tendo isso em consideração, o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é uma das opções mais comentadas e procuradas.

Mas, afinal, o que é esse financiamento e como ele funciona? Trouxemos neste guia prático tudo sobre o FIES, veja como é feito o processo seletivo e saiba se você possui os pré-requisitos necessários para a inscrição.

O que é o FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um projeto criado pelo Ministério de Educação (MEC) em 1999 e oferece cursos financiados aos estudantes em instituições privadas de ensino. Esse financiamento, pode cobrir 50% ou 100% do curso escolhido.

Por dentro do financiamento estudantil

O financiamento estudantil funciona assim: durante todo o período do curso, o banco efetua o pagamento das mensalidades à instituição de ensino. O estudante, por sua vez, precisa acertar esse “empréstimo” com o banco depois que termina a faculdade.

Como já introduzimos, o FIES é, talvez, o mais conhecido entre os tipos de financiamento estudantil. No FIES, a parceria é feita com a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, que concedem linhas de crédito com condições exclusivas para estudantes.

Como funciona

Já explicamos como o financiamento estudantil funciona, pois bem, o FIES funciona dessa mesma forma. As parcelas financiadas começam a ser cobradas somente após a formatura, são diluídas em um prazo longo e têm juros menores do que um empréstimo regular. A principal vantagem é justamente essa: as taxas de juros do FIES estão dentre as menores do mercado.

No entanto, as vagas são concedidas por ordem decrescente de nota do Enem, então, tudo depende do seu desempenho no Exame em relação aos demais inscritos.

Atualmente, o Novo FIES possui três linhas de crédito, cada uma com seus pré-requisitos, que abordaremos na sequência.

Modalidades

As modalidades do FIES hoje são três:

  • FIES 1: com zero taxa de juros, é destinado a estudantes de todo o Brasil que tenham renda familiar per capita de até 3 salários mínimos;
  • FIES 2: com taxa de juros de 3%, é destinado a estudantes do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste que tenham renda familiar per capita de 3 a 5 salários mínimos;
  • P-FIES: com taxa de juros de 6,5%, é destinado a estudantes de todo o Brasil com renda familiar per capita de 3 a 5 salários mínimos.

Quem pode participar

Para se inscrever no FIES e financiar o valor do curso de nível superior, o aluno precisa atender a alguns pré-requisitos do programa:

  • ter feito o Enem a partir de 2010;
  • ter tido nota do Enem superior a 450 e não ter zerado a redação;
  • ter renda familiar per capita (a renda total da família dividida pelo número de pessoas da casa) entre 3 a 5 salários mínimos.

Inscrição

As inscrições para o FIES ocorrem duas vezes por ano, sempre antes do início dos períodos letivos do ensino superior. Ou seja, é possível tentar uma vaga no primeiro semestre ou no meio do ano.

As datas de inscrições no início do ano costumam ocorrer em fevereiro. Já para o segundo semestre, as inscrições ocorrem por volta dos meses de junho e julho. Todo processo é feito no site oficial do FIES. Lá, o candidato também pode acompanhar o cronograma, com todas as datas referentes às inscrições, resultados e lista de espera.

Como se inscrever no FIES

No site do FIES, no ato da inscrição, o candidato precisa preencher informações pessoais referentes às suas condições socioeconômicas e escolaridade, além de preencher os dados sobre o grupo familiar e selecionar a modalidade. Para conferir o processo completo, montamos um passo a passo sobre como se inscrever no FIES, confira aqui :)

Nota do Enem

Como já foi comentado no pré-requisito, para solicitar o FIES o estudante deve ter participado do Enem em qualquer edição a partir de 2010, atingido uma pontuação de pelo menos 450 pontos e obtido nota superior à 0 na redação.

O processo é aberto para pessoas de todo o território nacional, inclusive aquelas que já se formaram e buscam a segunda graduação — exceto para quem não realizou algum Exame desde 2010. Sem a nota do Enem, não há possibilidade de inscrição.

Alguns pontos sobre a nota do Enem e o FIES para se atentar:

  • Caso ainda não esteja matriculado numa instituição, mas já queira garantir seu financiamento, somente a pontuação da última prova pode ser utilizada no processo. Exemplo simples: se procurar o FIES para um curso que será iniciado no ano de 2021, a nota precisa ser a do Enem 2020 e assim por diante.
  • Se você já está em um curso superior privado e percebe que não tem condições financeiras de arcar com o resto das mensalidades, a nota não tem data de validade! Contando que ela seja de 2010 ou de edições posteriores, é possível usá-la para concorrer ao processo seletivo.

Resultado

Os resultados do FIES são divulgados no site oficial de acordo com o cronograma. Lembre-se que ser pré-selecionado não garante a vaga: é preciso realizar a complementação das inscrições dentro do prazo, também divulgado no site do FIES.

Contratação do financiamento

Após complementar a inscrição, o candidato pode, enfim, prosseguir com a contratação do financiamento. No FIES, essa tarefa se divide em duas etapas:

  1. o estudante precisa comparecer à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino escolhida para validar as informações prestadas no ato da inscrição no FIES — em até 5 dias contados a partir da complementação;
  2. depois, o estudante deve ir até o banco responsável pelo financiamento (Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal) para apresentar os documentos comprobatórios das informações e assinar o contrato do FIES — em até 10 dias contados a partir da validação junto à CPSA.

O contrato do FIES é semestral. Por isso, ao fim de cada período do curso, você precisa checar quais são as datas para o aditamento do FIES —  que é a renovação obrigatória para que você continue usufruindo do financiamento na sua graduação.

Lista de Espera

Caso você não tenha sido contemplado com uma vaga do FIES, ficará automaticamente na lista de espera. Afinal, nem todos os pré-selecionados podem ficar mesmo com a vaga, seja por conta de inconsistências nas informações prestadas ou mesmo por desistência. Assim, o sistema faz novos ranqueamentos até a distribuição das vagas previstas no edital.

O critério de classificação continua sendo a nota do Enem: o próximo da lista é chamado e deve realizar a complementação da inscrição em até 3 dias úteis; caso não faça, a lista continua rodando.

Faculdades que aceitam o FIES

A lista de faculdades privadas que aceitam o FIES é enorme, já que abrange instituições de todo o país. Todas as participantes do Vestibulares aceitam o programa para ingresso:

Se você já possui matrícula numa dessas instituições acima e se encaixa no perfil do FIES, pode solicitar o benefício!

Caso você não passe no FIES ou não atenda aos requisitos para inscrição, há outras oportunidades de fazer a sua graduação com bolsas, descontos e créditos estudantis.

Nossa dica especial é que você realize o nosso quiz para descobrir qual opção de bolsa ou crédito estudantil pode te atender melhor!

Uma dessas opções é o Parcelamento Estudantil Privado (PEP), com o qual você pode parcelar até 70%* do seu curso com juros zero. O PEP tem condições parecidas com o FIES, como o acerto das parcelas somente após a conclusão do curso. Porém, com a vantagem de ser desvinculado do Enem: basta você se matricular em uma das instituições participantes para poder usufruir do PEP, com crédito pré-aprovado.

Viu só como o FIES é uma ótima alternativa? Agora que você conheceu melhor o programa, esperamos que tudo tenha ficado mais claro. Inscreva-se no vestibular e concorra a vagas em faculdades de qualidade que aceitam o FIES!